Dress Code – Arquiteta

Na hora de falar sobre estilo pessoal e tudo isso, sempre rola a duvida de como manter o seu estilo pessoal e se vestir de acordo com a sua profissão. Nessa nova tag “Dress Code”, nós vamos falar um pouquinho de algumas profissões e explicar o que cada cliente seu espera ver assim que olha para você. A primeira profissão será Arquiteta, comente para gente qual é a sua profissão, que ela pode virar o nosso próximo post.

dress code

Arquiteta

A Arquiteta circula em pelo menos três diferentes ambientes durante o seu dia, seriam eles, visitando obras, reunião com o cliente e lidar com os fornecedores.

As obras todos nós sabemos, é mais sujo, eventualmente é necessário abaixar para checar alguma coisa mais no nível do chão, os sapatos tem que ser fechado por motivos de segurança e até para não fazer uma sujeira danada nos pés. As reuniões com clientes podem ser em um café, no escritório, na casa do cliente. E para ir na loja escolher o piso o papel de parede ela pode encontrar concorrentes potenciais clientes, enfim. Todos os ambientes necessitam certas formalidades.

A primeira dica é: você arquiteta, vai precisar carregar com você seu sapatinho de obra. Que de preferencia é uma botinha, não necessariamente aquele sapato especial (a não ser que seja obrigatório) mas pode ser um de plástico estilo Melissa ou até mesmo de couro bem confortável. E quando sair da obra, troca e coloca um sapato mais arrumado e limpo.

Quanto a roupa, calça funciona melhor, pois te da mais flexibilidade na hora de abaixar e coisas do gênero, mas não precisa ser sempre aquela calça jeans, pode ser escolhido uma de tecido plano principalmente calças mais retas ou panta court, que tem uma barra mais curta vai ser melhor na hora de trocar o sapato da obra para um sapato mais arrumado, que pode ou não ter salto, para evitar de arrastar no chão na hora das trocas de sapato. Esse tipo de calça fica mais arrumada que os jeans. Já na parte de cima, se a arquiteta jogar uma calça de tecido plano já pode jogar uma malha como blusa, e se escolher o jeans é melhor jogar uma camisa de tecido plano. Para fazer um high-low, a arquiteta não precisa estar muito formal todo o tempo, mas é interessante esse toque de formalidade com informalidade para não ficar informal de mais.

 

Outra coisa que é importante pensar é, que tipo de profissional você é. Por exemplo, você é uma arquiteta que usa muitas cores? Ou gosta das coisas com tons mais neutros? Usa muitas coisas naturais? Ou gosta de coisas mais industriais? Você é uma profissional versátil? Que consegue fazer de um escritório super careta até uma casa de praia? É interessante para você, comunicar o seu estilo de arquitetura no seu jeito de se vestir.

Eu conheço muitas arquitetas que fazem projetos super coloridos, usam e abusam do mix de estampas mas na hora de apresentar o projeto vão de calça jeans e camiseta branca. O cliente não está lendo essa arquiteta criativa quando a conheçe, ou seja isso não comunica quem você é. É muito importante comunicar exatamente quem você é na primeira impressão com o cliente pois você, a arquiteta é parte do seu produto. O cliente está contratando também a sua criatividade, isso facilita muito que ele veja todos os seus projetos e te escute com bons olhos. Passa mais credibilidade.

Recaptulando, o dress code de uma arquiteta tem que ter criatividade, tem que ter acessibilidade. O cliente tem que achar que aquele arquiteto é acessível, que o arquiteto vai ouvir o que o cliente quer e traduzir em um projeto que faça sentido para ele, afinal um bom arquiteto não é aquele que faz um projeto incrível mas aquele que consegue conseguir traduzir os desejos daquele cliente. Ao mesmo tempo que deve ser acessível também tem que passar seriedade. O maior problema que as pessoas tem ao querer reformar espaços é a falta de cumprimento dos prazos e cumprir orçamento. Então a seriedade é importantíssima nesse caso.

Veja o que as alunas falam do Clube das Mulheres Bem Vestidas:

Ter estilo é ser você!

Não perca tempo em frente ao armário sem saber o que vestir.

Clique aqui para saber mais!

mulheres Bem vestidas

 

 

Primeiro passo para ser uma empreendedora de sucesso

Quem nos dá a dica de hoje, o primeiro passo para ser uma empreendedora de sucesso, não sou eu e sim Juliano Seabra, o diretor da Endeavor, ONG que fomenta empreendedorismo pelo mundo.

É preciso coragem para empreender.

Se você já trabalhou no mundo corporativo ou numa empresa certamente tinha um chefe, um par ou até uma equipe para trocar ideias, informações, fazer questionamentos, mas ao resolver ser empreendedora, dona do próprio negócio, isso se foi….

Não ter contraponto, não ter questionamento, faz com que facilmente você estacione numa zona de conforto e não consiga ou demore mais a chegar onde quer. O ser humano precisa de constantes incentivos para evoluir, precisa de uma segunda opinião, precisa de confiança e  motivação. E fazer isso tudo sozinha, o o tempo todo, não é tarefa fácil…

Eu sei exatamente como é isso e imagino que você também…

empreendedora

E é por isso, que nessa recente entrevista ao Jornal O Globo, Juliano Seabra afirmou que a principal dificuldade de quem está começando um negócio é a solidão!

>>> Recomendo que leia a reportagem na íntegra: http://oglobo.globo.com/sociedade/conte-algo-que-nao-sei/juliano-seabra-tocar-proprio-negocio-um-trabalho-solitario-21121490

Então, o primeiro passo para ser uma empreendedora de sucesso é a coragem, mas não como ato de bravura e sim,  a manutenção de uma postura ativa, se cercando de uma rede de apoio, informação técnica para dia após dia fazer seu negócio crescer.

A Solução

Eu resolvi a minha questão da solidão participando de grupos de mentoria, com profissionais que eu admirava e que tinham um negócio e/ou carreira que eu me espelhava e queria aprender!

Por conta desses grupos aconteceram duas coisas:

(i) Meu negócio deu um salto!

Desafiada e suportada pelo mentor, tirei o na época projeto do Mulheres Bem Vestidas do papel, deixando de lado todas as dificuldades de criar o primeiro curso on line na área de estilo do Brasil. Fácil nunca é, mas com apoio você consegue realizar. Hoje, quase dois anos depois, ele tem alunas de todo Brasil e até de fora, atingindo com seu conteúdo mais de 20 mil!

(ii) Criei a minha rede de networking.

Com empreendedores de todo Brasil, pessoas as quais posso trocar ideia, discutir cases, dar e pedir opinião! Algo que, mesmo findo a mentoria, mantenho até hoje e tem valor inestimável! É a minha injeção de coragem quando preciso!

Mulheres Bem Sucedidas

E finalmente, atendendo a muitos pedidos que recebo por email, chegou a minha hora de retribuir o que aprendi nesse percurso e de ser o grupo de apoio para mulheres que desejam ir além, o Mulheres Bem Sucedidas! Desde iniciar um novo negócio, fazer seu negócio crescer, lotar a agenda, começar a trabalhar on line, trabalhar menos horas de forma mais produtiva, ter foco no que faz a diferença. 
Se você quer fazer parte deste grupo, inscreva-se aqui!

Lembre-se para crescer é preciso sair da zona de conforto, tomar riscos, investir. Se tá fácil, é porque você pode mais!