Treinamento de equipes, driblando a crise

Hoje a coluna conta com a opinião da gerente de compras Bárbara Feitosa.

“ Lê-se : PASSO PONTO.

Logo penso que as empresas precisam achar uma alternativa para continuar competitivas no mercado e diferenciar seu negócio do concorrente. Será preciso um novo modelo para driblar a crise.

Busque a criatividade e inovação.

Cultive e estimule sua equipe no seu dia-a-dia.

Encontre prazer e torne as tarefas não somente uma obrigação.

Procure o estimulo através do “fazer” em um novo formato.

Solte-se, mude e crie. Continuará vivo quem oferecer o produto certo ao consumidor correto e na hora exata.”

Bárbara é uma das poucas gestoras de varejo que entende as necessidades da equipe em um período de crise. Digo isso baseada na informação recebida de que a primeira coisa que cortam nas empresas é o treinamento.

Se não existe dinheiro para aumentar os salários, as cobranças são mais intensas, os resultados mais difíceis e o ambiente mais tenso, qual a maneira de estimular sua equipe?

Treinamento!

Todo tipo de treinamento, por mais rápido que seja, tira o profissional da cadeira, cria um ambiente diferente, relaxa, estimula.

No momento atual é o investimento mais barato que uma empresa pode fazer para manter a equipe com garra, atenta e ativa, pensando e agindo “fora da caixinha”, tudo o que é necessário para enfrentar uma crise.

Gostou deste post? Se cadastra aqui para receber nossa newsletter em seu email.