Como se Vestir para Uma Reunião de Negócios

Cuidar da aparência no trabalho demonstra competência, que você se preocupa e se importa com seu trabalho e principalmente seu nível de organização, domínio do trabalho, auto segurança e até sucesso. Por isso, vestir qualquer coisa para ir trabalhar é perder a chance de usar uma poderosa ferramenta de comunicação – sua imagem – a seu favor.

Você quer realmente abrir mão disso? Se não quer, vem comigo ver na prática como se vestir bem em reuniões de negócio!

Reuniões na Empresa

Reuniões internas geralmente acontecem para tomadas de decisão. Algum assunto que já foi discutido por e-mail e precisa de uma definição para seguir. Nesse caso, você precisa saber expor seu ponto de vista e demonstrar auto segurança é fundamental. Use um toque de cor vibrante como vermelho, amarelo, laranja que remetem a vitalidade, alguém que tem opinião.

look para trabalhar

Já reuniões com os dirigentes da companhia, o traje exige um pouco mais de formalidade. Para passar formalidade, sem necessariamente ter que vestir um terno, opte por um visual com menos cores e peças com estrutura.

Reunião com Clientes

Quanto mais colorida, mais informal é a roupa. Se a reunião é de venda, uma apresentação para clientes, é a hora de provar que você e seu produto têm conteúdo. Você precisa convencer seu cliente que está ali para resolver o problema dele e isso vale para todas as áreas. Neste caso, passar credibilidade é fundamental para que o cliente confie em suas perspectivas.

E lembre-se que você estará em evidência, portanto conforto também é fundamental. As cores azul, que passa credibilidade, e verde, que passa estabilidade, são ótimas opções para ocasião. Para adicionar personalidade, misture verde com azul, cores análogas que juntas demonstram elegância.

Uma outra ótima opção é o visual monocromático, que transmite elegância, ou a mistura de neutros (marrom com preto, nude com marrom, vinho com musgo, por exemplo).

Se a reunião for um almoço ou um jantar, atenção à etiqueta à mesa. Reuniões à mesa geralmente acontecem para estreitar o relacionamento com um cliente ou um “importante” cliente em potencial para a companhia. Neste caso, é possível colocar um pouco mais de informalidade na roupa, para facilitar a aproximação.

Escolha cores complementares (opostas no círculo cromático) que demonstram criatividade e informalidade. Para ficar discreto, como pede o dress code de trabalho, opte por intensidades mais fortes, mais escuras e com menos brilho.

Alguns exemplos: marinho com amarelo, verde com laranja, onde as cores quentes como laranja, vermelho ou amarelo são mais amigáveis e acessíveis.

Lembre-se que a imagem é formada não só pela aparência, mas também pela consistência de comportamentos e atitudes. Por isso, pontualidade, saber como se comportar, se apresentar e cumprimentar os demais, é parte importante da imagem!

É preciso não só ser competente, como também parecer competente!

Para aprimorar sua Imagem Profissional

Se você quer aprimorar sua imagem profissional, sugiro que conheça o Curso on Line – Mulheres Bem Sucedidas. Nele você aprende a fazer seu vestir diário parte de seu cartão de visitas!

Clique aqui para saber mais!

Como se Vestir Para Uma Entrevista de Emprego?

Para saber o que vestir numa Entrevista de Emprego, é preciso saber que A primeira impressão é formada nos primeiros 15 segundos. O ser humano é visual, a imagem chega primeiro ao cérebro do que as palavras.

O pesquisador Albert Mehrabian, pioneiro da pesquisa da linguagem corporal na década de 1950 e autor de vários livros apurou que, em toda comunicação interpessoal, cerca de 7% da mensagem é verbal (somente palavras), 38% é vocal (incluindo tom de voz, inflexão e outros sons) e 55% é não verbal.

Então, para ajudar na missão de estar bem vestida e adequada para uma entrevista, vou traduzir alguns códigos do vestir, o que sua aparência pode falar sobre você em uma entrevista de emprego.

Se você não conhece o ambiente, uma aparência discreta é sempre mais adequada e te deixará mais confiante. O objetivo é chamar atenção ao seu conteúdo, sua personalidade, seu potencial, não ao que está vestindo, mesmo em ambientes criativos como na área de comunicação ou moda.  A aparência adequada é uma ferramenta que abre portas, mas ela não é o fim. Você deve ser visto primeiro, não sua roupa.  E isso vale para qualquer cargo, do técnico, analista ou gerente.

Sapatos

Evite saltos muito altos, prefira os médios, é mais comedido e elegante. Saltos muito finos e sapatos muito abertos são muito sexy para qualquer ambiente de trabalho, portanto opte por saltos um pouco mais grossos e sapatos mais fechados.

Para os homens, sapatos sociais com cadarços são mais formais que sem. O sapato escolhido deve estar limpo e bem cuidado, assim como os pés.

Roupas

Não gosto de falar em regras sobre o que vestir, mas quando se trata de ambiente de trabalho, existem algumas máximas referentes à adequação:

  • Decotes ou transparências não são permitidos. Mesmo camisas de botão mais fechadas, se forem transparentes, precisam de uma camiseta embaixo.
  • As saias devem ter comprimento mínimo de dois dedos acima do joelho.
  • As roupas devem ser ajustadas ao corpo, no tamanho correto, mas não coladas, justas, apertadas.
  • Blazer e calça sem ser conjunto é mais moderno e atual, sem deixar de estar adequado.

Todas as peças devem estar em bom estado, sem costuras desfeitas, botões faltando ou bolinhas no tecido. Esse cuidado demonstra que você tem atenção aos detalhes.

  • Só use jeans, se tiver certeza que o dress code da empresa permite. Na dúvida, vá de calça social, mais formalidade é sempre melhor saída neste primeiro contato.

Cores

Prefira peças lisas ou com estampas mais clássicas, como listras e poás. Estampas muito chamativas podem atrapalhar a atenção do entrevistador.

Cuidado na escolha das cores. Cada cor passa uma mensagem e uma sensação a quem vê. Para uma entrevista, onde se quer passar credibilidade, azul é uma ótima escolha. Para áreas onde a criatividade é importante, amarelo é bem-vindo.

Cores neutras são sempre adequadas e elegantes, mas para não ficar sem graça, misture neutros como vinho, marinho, musgo, cinza, marrom ou adote o visual monocromático, uma única cor ou tom sobre tom.

Quanto mais informal o ambiente, mais cores o look pode ter.

Cuidados Pessoal

Cabelos bem arrumados, demonstrando que foram cuidados. Cabelo molhado passa a imagem que você é desorganizada, saiu atrasada. Na dúvida, um rabo de cavalo ou um coque. Nada de “piranhas” ou elásticos aparentes, acabamento é importante, demonstra atenção aos detalhes. Maquiagem leve e discreta, apenas corretiva. Nada de lápis preto, olhos esfumados ou batom forte. O objetivo é ter boa aparência, mas não chamar toda a atenção para si.

Unhas de preferência feitas e com esmaltes discretos. Não deu tempo, deixa-as bem cortadas e limpas. Esmaltes descascando passam a mensagem de desleixo.

Acessórios

Devem ser discretos e não fazerem barulhos ao se mexer, escrever, mexer no computador, pois distraem e incomodam os colegas.

Etiqueta

Procure chegar de 5 a 10 minutos antes do horário marcado. Você nunca sabe se tem que se cadastrar para entrar no prédio, se o elevador demora, se algum imprevisto vai acontecer. Mais do que isso, demonstra ansiedade e chegar atrasado demonstra falta de interesse. Atrasos aceitáveis são de 15 minutos, mas já causarão uma impressão de desorganização.

Se tiver algum problema e não puder comparecer, ligue e desculpe-se! É o mínimo que se pode fazer, demonstrando respeito ao tempo do outro.

Cuidar da aparência e ter atenção às regras de etiqueta não é futilidade. São pequenos detalhes que fazem sua carreira decolar.

Primeiro passo para ser uma empreendedora de sucesso

Quem nos dá a dica de hoje, o primeiro passo para ser uma empreendedora de sucesso, não sou eu e sim Juliano Seabra, o diretor da Endeavor, ONG que fomenta empreendedorismo pelo mundo.

É preciso coragem para empreender.

Se você já trabalhou no mundo corporativo ou numa empresa certamente tinha um chefe, um par ou até uma equipe para trocar ideias, informações, fazer questionamentos, mas ao resolver ser empreendedora, dona do próprio negócio, isso se foi….

Não ter contraponto, não ter questionamento, faz com que facilmente você estacione numa zona de conforto e não consiga ou demore mais a chegar onde quer. O ser humano precisa de constantes incentivos para evoluir, precisa de uma segunda opinião, precisa de confiança e  motivação. E fazer isso tudo sozinha, o o tempo todo, não é tarefa fácil…

Eu sei exatamente como é isso e imagino que você também…

empreendedora

E é por isso, que nessa recente entrevista ao Jornal O Globo, Juliano Seabra afirmou que a principal dificuldade de quem está começando um negócio é a solidão!

>>> Recomendo que leia a reportagem na íntegra: http://oglobo.globo.com/sociedade/conte-algo-que-nao-sei/juliano-seabra-tocar-proprio-negocio-um-trabalho-solitario-21121490

Então, o primeiro passo para ser uma empreendedora de sucesso é a coragem, mas não como ato de bravura e sim,  a manutenção de uma postura ativa, se cercando de uma rede de apoio, informação técnica para dia após dia fazer seu negócio crescer.

A Solução

Eu resolvi a minha questão da solidão participando de grupos de mentoria, com profissionais que eu admirava e que tinham um negócio e/ou carreira que eu me espelhava e queria aprender!

Por conta desses grupos aconteceram duas coisas:

(i) Meu negócio deu um salto!

Desafiada e suportada pelo mentor, tirei o na época projeto do Mulheres Bem Vestidas do papel, deixando de lado todas as dificuldades de criar o primeiro curso on line na área de estilo do Brasil. Fácil nunca é, mas com apoio você consegue realizar. Hoje, quase dois anos depois, ele tem alunas de todo Brasil e até de fora, atingindo com seu conteúdo mais de 20 mil!

(ii) Criei a minha rede de networking.

Com empreendedores de todo Brasil, pessoas as quais posso trocar ideia, discutir cases, dar e pedir opinião! Algo que, mesmo findo a mentoria, mantenho até hoje e tem valor inestimável! É a minha injeção de coragem quando preciso!

Mulheres Bem Sucedidas

E finalmente, atendendo a muitos pedidos que recebo por email, chegou a minha hora de retribuir o que aprendi nesse percurso e de ser o grupo de apoio para mulheres que desejam ir além, o Mulheres Bem Sucedidas! Desde iniciar um novo negócio, fazer seu negócio crescer, lotar a agenda, começar a trabalhar on line, trabalhar menos horas de forma mais produtiva, ter foco no que faz a diferença. 
Se você quer fazer parte deste grupo, inscreva-se aqui!

Lembre-se para crescer é preciso sair da zona de conforto, tomar riscos, investir. Se tá fácil, é porque você pode mais!

Chegou a hora do Imposto de Renda

Na última quinta-feira, dia 2 de março, iniciou-se o prazo para a elaboração das Declarações de Imposto de Renda das Pessoas Físicas – DIRPF. Assim, todas as pessoas físicas, residentes no País, que tenham auferido renda superior a R$ 28.559,70 em 2016, deverão apresentar declarações de ajuste anual.

Prazo

De acordo com a Receita Federal, estima-se que 28,3 milhões de contribuintes estão obrigados à transmissão da DIRPF.

O prazo para regularização da situação com o Fisco Federal vai até às 23h59 do dia 28 de abril. No entanto, certo é que as declarações antecipadamente transmitidas contam com prioridade no momento da liberação dos lotes de restituição do imposto.

Descumprido o prazo, o contribuinte fica sujeito a multa, que será descontada de eventual valor restituível. A penalidade é de, no mínimo, R$ 165,74 e, no máximo, 20% sobre o valor do imposto devido em 2016.

Dedução de Despesas

Os erros mais comuns nas declarações, capazes de levar os contribuintes à malha fina, costumam estar relacionados à dedução de despesas, em especial, aquelas relativas à saúde e à educação.

Isso porque, nem todas as despesas de 2016 podem ser abatidas do Imposto de Renda e, dentre as que podem, os valores de abatimento são limitados.

Especificamente com relação aos gastos com educação, é importante ressaltar que o Judiciário vem considerando inconstitucional a limitação estabelecida pelo artigo 8º da lei 9.250/95. Atualmente, na declaração completa, a dedução de gastos com educação é limitada ao teto de R$ 3.561,50.

Com base nesse entendimento, alguns contribuintes vêm obtendo autorização judicial para deduzir a integralidade das despesas educacionais próprias e de seus dependentes.

Configura-se, portanto, uma possibilidade de redução da carga tributária para aqueles que possuem gastos elevados com educação, a qual abrange despesas com o custeio de ensino técnico, fundamental, médio, superior, pós-graduação, mestrado e doutorado. Deve-se ainda atentar a cada um dos valores informados, sem desprezar centavos, respeitar pontos e vírgulas e deixar de arredondar quaisquer valores.

Novidade

Uma novidade quanto ao preenchimento da DIRPF 2017 é a exigência de CPF para os dependentes maiores de 12 anos. Antes, a exigência valia para dependentes com mais de 14 anos.

Essas e outras informações são de extrema relevância para o devido cumprimento da legislação. Sua observância, portanto, reduz, sensivelmente, os riscos de cair na malha fina. Recomendamos, porém, que o contribuinte que possuir dúvidas busque a ajuda de um profissional devidamente habilitado.

Uma vez verificados erros no preenchimento, é possível a transmissão de nova declaração, retificadora da anterior, a ser apresentada no prazo de até cinco anos e ainda antes do início de qualquer procedimento fiscalizatório.

YAMADA & GUIDORIZZISociedade de Advogados, formada por Renata Yamada e Aline Guidorizzi, com atuação preponderante na área contenciosa (judicial e administrativa) e consultiva em Direito Tributário, Empresarial e Cível. Fale com elas: contato@yamadaguidorizzi.adv.br

Advogado como aliado ao sucesso da empreendedora

Mais um ano se inicia e, como disse o poeta, “quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial”. Esse começo nos remete à renovação da esperança, dos sonhos, à definição de novas metas e projetos. É tempo, também, de reorganização, balanço, de olhar para acertos e erros.

Neste contexto, propomos uma alteração de paradigmas, uma releitura do advogado como vetor de equilíbrio e de transformação social, como grande aliado da empreendedora. Empreender, muitas vezes, significa acreditar em um sonho e seguir em busca da sua realização.

Nesses momentos, é muito comum deixarmos de lado a razão e sermos arrastados pela emoção que costuma acompanhar a realização de nossas maiores aspirações. A constituição de uma empresa, porém, é tarefa que envolve riscos e burocracias. Logo, requer uma série de cuidados relevantes, que vão desde a definição do tipo societário a ser adotado, elaboração e registro do contrato social, até a escolha da forma de tributação mais adequada e menos onerosa para o seu negócio.

Por essas razões é que afirmamos ser de grande importância a escolha dos profissionais que estarão ao seu lado nesse momento inicial. A figura do advogado, portanto, torna-se indispensável à composição dessa equipe multidisciplinar, a qual tem por função primeira a efetividade do negócio idealizado.

O mundo de hoje – da sociedade da informação, da economia digital, do ‘Big Data’, das ‘startups’, dos novos marcos de responsabilidade empresarial – inspira um novo olhar para temas antigos, a quebra de paradigmas, o pensamento diferente, fora da caixa.

Devemos, portanto, repensar o jurídico, que não deve tratar apenas da atuação reativa, como forma de resolução de conflitos já instaurados, mas que também (e principalmente), deve se posicionar como aliado necessário ao sucesso de qualquer empreendimento.

Temos que estar presentes, advogado e empreendedora, juntos, em sintonia, desde o início do processo de constituição de um novo negócio, especialmente no cenário em que novos modelos e demandas surgem em alta velocidade, impulsionados pela tecnologia e pela internet.

Entendemos, assim, que a advocacia atual constitui uma ferramenta indispensável de ‘compliance’ (garantindo a conformidade com a legislação), de prevenção de conflitos e mitigação de riscos.

Reduzir riscos em tempos de crise econômica é vantagem competitiva. Frente à crise, há quem feche as portas e há quem cresça! Convidamos você a empreender e a crescer com segurança, consistência e relevância, alavancando seus resultados profissionais. Topam? Prontos para 2017?

Você tem uma empresa? Quer vê-la crescer? Conta para gente nos comentários!

aline-e-renata

Aline Guidorizzi é advogada formada pela Universidade Cândido Mendes, especializada em Direito Tributário pela UFF e pelo IBET. Atualmente, cursa pós-graduação em Direito Digital e Compliance. É uma das sócias da Yamada & Guidorizzi Sociedade de Advogados, com atuação preponderante na área contenciosa (judicial e administrativa) e consultiva em Direito Tributário, Empresarial e Cível. Fale com ela: contato@yamadaguidorizzi.adv.br