Já ouviu sobre Eco Manicure?

Hoje em dia estamos conectados com todas as tendências da moda, seja no vestuário, na tecnologia, na gastronomia e nos esmaltes. Sim, nos esmaltes! Quantas cores e marcas veem no mercado, este segmento vem faturando alto nos últimos anos.

A ida semanal ao salão para fazer as unhas pode estar cheia de agentes tóxicos, nos esmaltes existem compostos que são nocivos para a saúde. A preocupação com os agentes químicos nos esmaltes começou no final dos anos 90 a União Européia foi a primeira a ter uma regulamentação e a proibir o uso do DBP (dibutilftalato) e o formol.

A partir daí, foram surgindo em todo o mundo os esmaltes 3free, 4free, 5free e, finalmente, os esmaltes naturais e eco-friendly. Os esmaltes com colorações mais vívidas, possuem substâncias ainda mais perigosas, como cromo e níquel.

O que fazer?

Antes de comprar um ou escolher em seu salão de beleza procure ler o rotulo. Existem marcas antialérgicas que possuem compostos menos prejudiciais, linhas veganas de cuidados pras unhas com o diferencial de oferecer produtos mais sustentáveis e livres dessas substâncias, que descartadas sem critério, podem contaminar o solo e as águas. Se incinerados, geram gases tóxicos. Também são livres de ingredientes de origem animal e testes em bichinhos.

Como descartar?

Se você tem esmaltes com substancias nocivas, Restos de esmalte, por causa da pouca quantidade, não são recicláveis. Resta limpar o vidro para reciclagem: use removedor de esmalte para limpar a embalagem (faça esse procedimento duas vezes), jogue a solução em um jornal usado, espere secar e descarte no lixo comum (que tem como destino o aterro sanitário).

Se você acha que não compensa o trabalho, pode usar as embalagens para artesanato.

De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, o fabricante tem responsabilidade sobre o que vende (responsabilidade compartilhada), então salões de beleza devem entrar em contato com os fabricantes para buscar uma solução.

Já existem marcas que possuem coletores de restos de esmaltes, semelhantes aos coletores de pilhas e baterias.

Vamos reciclar nossos esmaltes? Investir em produtos mais sustentáveis?

Lembre-se: Agir Local, Pensar Global